DESTAQUES

Comunicados

 

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, em articulação com a sua concelhia de Torres Vedras, endereçou no passado dia 23 de junho, um conjunto de questões ao Governo sobre o Futuro da Saúde no Oeste no âmbito da preocupação sentida em relação à situação da saúde pública na região, bem como da construção do novo Hospital do Oeste.

NOTÍCIAS

OPINIÃO

Vive-se uma situação de enorme sobrecarga nas urgências em Torres Vedras que tem levado à transferência de doentes. Também no próprio Hospital das Caldas os responsáveis pela equipa de urgência demitiram-se das funções de chefia, alertando para uma situação de rutura. Sobre as consultas de especialidade sabemos dos atrasos e dos tempos de espera, das dificuldades de internamento, das macas que acabam nos corredores e sobre o atendimento no Hospital de Torres, as esperas na sala das urgências, muitas queixas se ouvem dos utentes e de quem lá trabalha.

OPINIÃO

Os trabalhadores da Promotorres aguardam desde julho de 2021 a resposta à proposta de negociação laboral de um Acordo de Empresa, que tem ficado na gaveta. São justas as reivindicações desta luta, para acabar com uma situação de injustiça que se tem arrastado sob a complacência de muitos e com a edilidade a fechar os olhos.

Opinião

De facto, se o CDS tem fetiches autoritários e o PS pensa que é dono do espaço publico, nós cá estamos para defender o direito fundamental de Liberdade de Expressão, que garante não só o direito de manifestar o próprio pensamento, como também o da livre utilização dos meios através dos quais esse pensamento pode ser difundido.

Comunicados

O Bloco de Esquerda congratula-se com o facto de finalmente existir um estudo da localização, que se arrastou anos, sendo agora tempo de pressionar o Ministério da Saúde,
para uma decisão célere e o avanço da orçamentação do projeto e cabimento orçamental aproveitando os fundos comunitários. Deixa de haver desculpa para justificar a inação.

Opinião

Um estudo publicado em 2019, com um mapa interativo disponível, projeta a perda de superfície terrestre para o mar em 2050 (ou seja, daqui a menos de 30 anos) e pode verificar-se neste mapa que toda a extensão costeira do nosso concelho será afetada, incluindo as praias da Assenta, Cambelas, Foz do Sizandro, Santa Cruz, Porto Novo.

Opinião

Há 8 anos houve um aviso da parte de Vladimir Putin. Não nos preparamos. Como muitos outros problemas globais, preferimos como país, e como país-membro da União Europeia esperar para ver ao invés de sermos mais pro-ativos e de desenvolver políticas que apoiem cadeias curtas de consumo e produção e que assegurem a nossa segurança alimentar e energética.

Opinião

Será que ter um concelho em que 80% da área florestal são eucaliptos e onde não existe diversidade é a melhor forma de sermos sustentáveis e protegermos o ambiente e o futuro do nosso concelho?